terça-feira, 13 de agosto de 2013

Equilíbrio das emoções e fortalecimento da saúde com as Essências Florais de Bach - parte V

Nosso mundo está cada vez mais acelerado. Não temos tempo para nada! Há pouco tempo atrás, ainda era possível encontrar pessoas na rua, no meio da tarde, conversando com os vizinhos. As crianças podiam brincar nas ruas enquanto as mães batiam papo no portão, colocando em dia as novidades, boas e ruins que constituíam o dia a dia de cada um. Falavam e ouviam, pediam conselhos, davam conselhos, enfim, tinham tempo de dar atenção ao próximo e sempre haveria alguém para ouvi-las.
Hoje temos os celulares que nos acompanham por toda parte. Há também o Facebook, que nos facilita a comunicação rápida e prática por mensagens e fotos, mas, como diz o ditado, “quem vê cara não vê coração”.  Os meios de comunicação tornaram o mundo  menor, mas  nossos  amigos parecem morar mais longe.

Sentimentos de abandono e solidão
O contato direto, olho no olho, jamais será substituído por nenhuma mídia  de comunicação. Infelizmente, hoje em dia, cada vez mais, as pessoas estão distantes, os amigos de infância que reencontramos via Facebook, na maioria das vezes, tornam-se amigos virtuais. Namoros são virtuais, pais e filhos vão se distanciando, todos ocupados e preocupados o tempo todo, num processo que vai gerando a sensação de abando e  carências de afeto e atenção. É bem verdade que os meios de comunicação facilitaram nossas vidas. Hoje temos acesso rápido a tudo o que se possa imaginar via Internet. Bom para os apressadinhos!  Podemos nos informar cada vez mais, evoluindo por conta própria. Internautas autodidatas, vamos nos melhorando cada vez mais como indivíduos independentes e esta é a receita para se viver bem, sozinho. Mas, se não ficarmos alertas, também pode ser o caminho da carência e da solidão






O imediatismo, a pressa e a falta de tempo podem  nos fazer  esquecer de desenvolver características  importantes,  necessárias para se viver em comunidade: a compaixão, a solicitude e a afetuosidade.  Conviver não é fácil. Muitas famílias  não conseguem estabelecer um relacionamento afetivo adequado por deixarem de priorizar o calor de um gesto ou de uma palavra de verdadeiro afeto. Muitos até compram e presenteiam em excesso, na tentativa de preencher (sem sucesso) a carencia afetiva. Hábito inútil. Assim, o sentimento de carência se desenvolve de forma crescente, aprisionando as pessoas em seus pequenos mundos onde cada um é um, dentro de um processo de individualismo solitário.


O sentimento de solidão e abandono pode causar grande baixa imunológica, deixando o organismo sujeito a ataques de infecções. A energia de defesa do organismo, segundo a MTC, é a energia do elemento Metal. O elemento Metal é associado pelos mestres orientais na natureza com o outono, época que exige do homem introspecção e recolhimento. E quando o homem não se alinha com esse movimento da natureza tende a apresentar sintomas fisicos no Pulmão e no Intestino Grosso. A necessidade de se sentir integrado e não isolado é importante para manter-se saudavel.  Portanto, quando pensamos em defender o organismo de doenças, sempre estaremos falando do Qi do Pulmão e do Intestino Grosso. Os Pulmões recebem e liberam o ar enquanto o Intestino Grosso é responsável por liberar tudo aquilo que nosso organismo já utilizou e não necessita mais. Essa  energia do elemento Metal,  responsável também, pela manutenção e pela dissolução de vínculos emocionais, defende, mantem e libera esses vínculos que nos prendem às coisas e às pessoas que não servem mais . Quando falamos de distanciamento entre pessoas, logo pensamos na tristeza causada pela perda ou pela falta de um vínculo, que pode ser observada como sensação de abandono e solidão. Isso enfraquece a energia do Metal e pode levar a problemas como intestinos desregulados (que ora prendem, ora ficam demasiadamente soltos), assim como a dificuldades respiratórias.

Individualidade X individualismo
Dr.Bach fez questão de nos explicar amplamente as noções de Individualidade e Unidade. Sabemos da necessidade que cada um tem de desenvolver sua individualidade, aquela que garante a cada ser, sua própria identidade. Essa é a forma de cada um saber quem é, de conhecer seu valor no mundo. Mas esta consciência só é verdadeira  quando percebemos que, na verdade, cada um de nós é somente uma pequena parte da Unidade, e que tudo o que faço para mim, atinge o Todo. Ninguém existe só. Para que eu possa me perceber preciso que o outro olhe para mim e confirme minha existência. É a falta do olhar do outro, do olhar amoroso do outro, a falta de consideração, a falta de atenção que vão gerar sentimento de abandono. A falta de entendimento da noção de Unidade à qual todos nós pertencemos, é a grande vilã no desenvolvimento desse sentimento , e leva a sofrer a solidão, a medida que a pessoa esquece que, se pertence a uma Unidade maior, na verdade, nunca estará sozinha.

A falta de amor vai amargurando e endurecendo as pessoas. Entretanto, existe uma certeza: abandono e carência só vão ser curados com Amor. Se tivermos amor suficiente por todas as coisas, amor e respeito pelas pessoas ao nosso redor, tanto nos gestos como nos pensamentos, não iremos magoar ou ferir ninguém e nos pouparemos, a nós e ao  próximo  da doença e do sofrimento. 


Como lidar com tudo isso
As essências a seguir tem o potencial de trazer a Luz capaz de transformar a indiferença, o individualismo e a carencia afetiva em amor. Aquele amor  que buscamos fora de nós, no outro, mas que na verdade só pode brotar dentro de cada um.
Essas essências florais nutrem, pacificam e dão colo aos que se sentem abandonados, sós e carentes:


Heather- acalma a necessidade que as pessoas carentes tem de chamar a atenção para si em busca da própria identidade.  Ensina  a olhar para fora de si, ser mais solicito e calar-se para ouvir o outro.





Impatiens – para aqueles que priorizam a rapidez  e não gostam de desperdiçar tempo com “bobagens” como afeto e atenção ao próximo. Desperta a capacidade de ter compaixão pelos menos rápidos e “espertos”.



Water Violet – Para aqueles que preferem a solidão a ter que trocar conversa, carinho e atenção com quem quer que seja. Desperta a necessidade de comunicar-se afetuosamente com o outro.




Holly – ajuda a aplacar sentimentos de raiva,  ódio,  ciúme e o desejo de vingança naqueles que sentem que foram abandonados ou rejeitados. Ensina a perdoar e a abrir o coração para que o amor entre.
Postar um comentário