segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

O Amor e a Saúde - Dr.Bach e Dalai Lama - parte 4

Como Podemos Começar?

"Devemos começar  removendo os maiores obstáculos à compaixão: raiva e ódio. Como todos sabemos, estas são emoções extremamente poderosas e podem dominar toda a nossa mente. No entanto, elas podem ser controladas. Se não forem, essas emoções negativas irão nos afligir - sem nenhum esforço extra! - e impedirão a nossa busca pela felicidade de uma mente amorosa. Então, para começo de conversa, é útil investigar se a raiva tem algum valor. Às vezes, quando estamos desanimados por uma situação difícil , a raiva parece útil, despertando consigo mais energia, confiança e determinação.

Aqui, porém, devemos examinar cuidadosamente o nosso estado mental. Mesmo sendo verdade que a raiva traz energia extra, ao explorarmos a natureza desta energia, descobrimos que ela é cega: não podemos ter certeza se seu resultado será positivo ou negativo. Isto acontece porque a raiva eclipsa a melhor parte do nosso cérebro: a sua racionalidade. Assim, a energia da raiva é quase sempre, pouco confiável. Ela pode causar uma imensa quantidade de comportamentos destrutivos e  lamentáveis. Além disso, se a raiva aumenta ao extremo, a pessoa fica como louca, agindo de maneira prejudicial tanto para si mesma como para os outros.

É possível, no entanto, desenvolver uma energia igualmente forte, mas muito mais controlada, com a qual podemos lidar com situações difíceis. Esta energia controlada não vem apenas de uma atitude compassiva, mas também da razão e da paciência. Estes são os antídotos mais poderosos contra a raiva. Infelizmente, muitas pessoas julgam mal essas qualidades como sinais de fraqueza. Eu acredito que o oposto é verdadeiro: que esses são os verdadeiros sinais de força interior. A compaixão é por natureza gentil, pacífica e suave, mas é muito poderosa. Aqueles que facilmente perdem a paciência são  inseguros e instáveis.  Assim, para mim, a excitação da raiva é um sinal direto de fraqueza.

Assim, quando um problema surge em primeiro lugar, tente permanecer humilde, manter uma atitude sincera e  observar que  o resultado seja justo. Claro, outros podem tentar tirar vantagem, mas se o fato de você permanecer aparte só incentivar agressividade injusta adote uma posição forte.  Isso, no entanto, deve ser feito com compaixão e se for necessário expressar seus pontos de vista e tomar contramedidas fortes, faça-o sem raiva ou má intenção. 

Você deve perceber que, apesar de parecer que seus adversários  estão ferindo você, no final, a sua atividade destrutiva vai prejudicar apenas a eles mesmos . A fim de checar seu próprio impulso egoísta de retaliação, você deve lembrar-se do seu desejo de praticar a compaixão  assumindo a responsabilidade de ajudar a impedir que a outra pessoa  sofra as consequências de seus próprios atos. Portanto, uma vez que as medidas que você empregou foram calmamente escolhidas, elas serão mais eficazes, mais precisas e mais fortalecidas. A retaliação baseada na energia cega de raiva raramente atinge o alvo".
                                                                      Dalai Lama, Sua Santidade.



Tem mais!
Postar um comentário