terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

O Amor e a Saúde - Dr.Bach e Dalai Lama - parte 5

Amigos e inimigos


“Devo enfatizar mais uma vez que apenas pensar que a compaixão e a razão e paciência são bons, não é o suficiente para desenvolvê-las. É preciso esperar que as oportunidades se apresentem para, em seguida, tentar praticá-las.

E quem cria essas oportunidades? Não os nossos amigos, é claro, mas os nossos inimigos. Eles são os únicos que nos criam problemas. Então, se queremos realmente aprender, devemos considerar os inimigos como nossos melhores professores!


Para uma pessoa que preza a compaixão e o amor, a prática da tolerância é essencial, e para isso, um inimigo é indispensável. Então, devemos nos sentir gratos aos nossos inimigos, pois são eles que melhor podem nos ajudar a desenvolver uma mente tranquila! Além disso, são frequentes os casos, tanto na vida pessoal como na pública, em que, após alguma mudança de circunstâncias, os inimigos se tornam amigos.


Portanto, a raiva e o ódio são sempre prejudiciais e, a menos que nós treinemos nossas mentes e trabalhemos para reduzir sua força negativa, eles vão continuar a nos incomodar e a perturbar nossas tentativas de desenvolver uma mente calma. A raiva e o ódio são os nossos verdadeiros inimigos. Estas são as forças que mais precisamos enfrentar e derrotar e não os inimigos temporários que aparecem de forma intermitente ao longo da vida.

Obviamente, é natural e certo que todos nós queremos os amigos. Costumo brincar que, se você realmente quer ser egoísta, você deve ser muito altruísta! Você deve cuidar bem dos outros, se preocupar com seu bem-estar, ajudá-los, servi-los, fazer mais amigos, sorrir mais.  O resultado? Quando você  precisar de ajuda, você encontrará uma abundância de ajudantes! Se, por outro lado, você negligenciar a felicidade dos outros, há longo prazo, você será o perdedor. E a amizade é produzida por meio de brigas e raiva, ciúmes e competitividade intensa? Acho que não. Somente carinho nos traz genuínos amigos íntimos.
 

Na sociedade materialista de hoje, se você tem dinheiro e poder, parece que você tem muitos amigos. Mas eles não são seus amigos, pois eles são os amigos de seu dinheiro e poder. Quando você perde a sua riqueza e influência, você vai ver que será muito difícil encontrar essas pessoas.


O problema é que quando as coisas do mundo vão bem para nós nos tornamos confiantes de que podemos gerenciar tudo por nós mesmos e sentimos que não precisamos de amigos. Mas, à medida que nosso “status”  e nossa saúde declinam, rapidamente percebemos quão errados estamos. É nesse momento que descobrimos quem nos é realmente útil e quem nos é completamente inútil. Então, para estar preparados para esses momentos e fazer amigos genuínos que vão nos ajudar quando for necessário, nós devemos cultivar o altruísmo!

Embora às vezes as pessoas riam quando eu digo isso, eu mesmo sempre quero mais amigos. Eu amo sorrisos. Por conta disso, eu tenho o "problema" de saber como fazer mais amigos e como obter mais sorrisos, especialmente, os sorrisos genuínos. Pois há muitos tipos de sorrisos, como sorrisos sarcásticos, artificiais ou diplomáticos.

Muitos sorrisos não produzem sensação de satisfação, e às vezes podem até mesmo criar desconfiança ou medo, não é mesmo? Mas um sorriso genuíno realmente nos dá uma sensação de frescor e é, creio eu, exclusivo para os seres humanos. Se estes são os sorrisos que queremos, então nós mesmos devemos criar as razões para que eles apareçam”.
                                                
                                          Dalai Lama, Sua Santidade



                                    



(continua)
Postar um comentário