domingo, 2 de março de 2014

O Amor e a Saúde - Dr.Bach e Dalai Lama - parte 6 - final

Compaixão e o mundo

“Em conclusão, gostaria brevemente de expandir meus pensamentos para além do tema deste pequeno texto e ampliar meu ponto de vista: a felicidade individual pode contribuir de uma forma profunda e eficaz para a melhoria global de toda a nossa comunidade humana.

Uma vez que todos nós compartilhamos uma necessidade idêntica para o amor é possível sentir que qualquer pessoa que encontramos, em qualquer circunstância, é um irmão ou irmã. Não importa quão novo seja seu rosto,  quão diferentes sejam suas vestes ou seu comportamento, não há uma divisão significativa entre nós e outras pessoas. É tolice debruçar-se sobre diferenças externas, porque nossas naturezas básicas são as mesmas.



Em última análise, a humanidade é uma só e este pequeno planeta é nossa única casa, Se quisermos proteger esta nossa casa,  cada um de nós precisa experimentar uma sensação vívida de altruísmo universal. É somente este sentimento  que pode remover os motivos egocêntricos que levam as pessoas a enganar e abusar uns dos outros.


Se você tem um coração sincero e aberto, você naturalmente tem autoestima e confiança suficientes, e não há necessidade de temer o próximo.

Eu acredito que em todos os níveis da sociedade – familiar, tribal, nacional e internacional - a chave para um mundo mais feliz e mais bem sucedido é o incremento da compaixão. Nós não precisamos nos tornar religiosos, nem precisamos  acreditar em uma ideologia. Tudo o que é necessário é que cada um de nós desenvolva nossas boas qualidades humanas.

Eu tento tratar qualquer um que eu encontro como um velho amigo. Isso me dá uma verdadeira sensação de felicidade. É a prática da compaixão”.

                                              Dalai Lama - Sua Santidade




Postar um comentário