domingo, 31 de agosto de 2014

Louise Hay, a arte de se relacionar e os Florais de Bach.


O relacionamento humano é uma questão delicadaQuando observamos como mero espectador uma discussão entre duas pessoas, muitas vezes temos total condição de estabelecer os pontos positivos e negativos de cada um, entendendo as razões que movem ambos no direcionamento de suas condutas. Mas basta assumir um dos lados para que percamos a nossa capacidade de discernir com tanta facilidade, o certo e o errado da questão. 

As pessoas mais impositivas tendem a conduzir a discussão com formas mais agressivas de postura e  argumentação, assumindo para si  a responsabilidade de “resolver a parada” segundo seu próprio ponto de vista, calando o outro, ignorando seus argumentos. Quando falamos de relações entre as pessoas, aqueles que realmente entendem a questão do respeito à individualidade devem, antes de qualquer coisa, “colocar-se nos sapatos do outro”, ou seja, olhar mais para o outro e pensar: será que eu gostaria de ter ouvido isso? Será que eu teria entendido esse argumento? Essa forma que usei para expressar minhas verdades não teria me ferido e causado desconforto caso eu tivesse ouvido essas palavras,  em vez de tê-las dito a outrem? Será que minha verdade é tão absoluta?

Por outro lado, aqueles menos impositivos, mais calados e recolhidos, tendem a culpar o outro por sentir-se agredido, por não ter conseguido se expressar e acabam as discussões sentindo-se tristes, magoados e feridos. Segundo Louise Hay, “Quando culpamos o outro por nossas tristezas e desconfortos, estamos abdicando de  nosso poder porque  colocamos a responsabilidade pelos nossos sentimentos em outra pessoa. As pessoas em nossa vida podem se comportar de maneiras que desencadeiem reações desconfortáveis em nós. Entretanto elas não entraram em nossas mentes para escolher nossas reações". Na verdade temos uma capacidade de responder escolhendo conscientemente as nossas ações, ao invés de simplesmente deixar-se levar por reações.

Sendo assim, conclui L.Hay, “Tomar uma posição  estabelecendo limites saudáveis é a coisa mais amorosa que se pode fazer, não somente para si mesmo, mas para a outra pessoa também.”


FLORAIS DE BACH E A ARTE DE SE RELACIONAR

Quando trabalhamos com os Florais de Bach, é importante observarmos a natureza das pessoas. Aqueles mais impositivos dever buscar equilíbrio tornando-se mais compassivos e atenciosos. Os mais submissos, devem desenvolver sua capacidade de assumir a responsabilidade por si, fortalecendo sua vontade e sua auto estima. 


Cabe aqui observarmos as palavras de Dr. Bach sobre esse assunto:



DOMINADORES, POSSIBILITADORES E MEDIADORES*

Dentre os florais curadores, os 12 primeiros desenvolvidos por Dr. Bach, encontramos quatro essências que se destinam às pessoas de personalidade Dominadora e outros quatro que se destinam àqueles opostos, a que chamamos Possibilitadores. Os outro 4 florais desses grupo de 12, são destinados àquelas pessoas com características de Mediadores, que normalmente são muito diplomáticas, que não agridem mas tampouco se deixam agredir, mas cujo ponto fraco se observa no momento em que precisam se colocar de forma objetiva, expressando suas próprias opiniões, fazendo escolhas e tomando decisões.

A observação dessas características pessoais, facilmente identificáveis, pode ser um ótimo ponto de partida na escolha da essência floral adequada, constituindo o início do tratamento de forma mais segura e eficaz. 

(*Fonte: Jessica Bear)

Postar um comentário