segunda-feira, 7 de agosto de 2017

ASPEN E A SABEDORIA ORIENTAL


A Essência Floral Aspen tem o potencial de equilibrar o elemento água da Sabedoria Oriental. Também conhecido como o movimento de máxima introspecção da Mente da Sabedoria Oriental, o movimento Água esta ligado com tudo aquilo que é profundo, incerto, secreto e escondido.  No contexto psicológico esta ligado com o nosso inconsciente que guarda todas as memorias de  vida.No plano emocional a Mente utiliza o poder de evocar as lembranças de nossas experiencias de vida que possam servir de apoio para podermos agir com sabedoria. O Floral Aspen aciona os mecanismos do nosso inconsciente para ajudar na resolução dos conflitos do dia a dia em forma de pressentimentos, presságios e intuições. Quando essas mensagens são vivenciadas com ansiedade pode gerar somatizações nos Órgãos Rins e Bexiga. Além disso, sintomas como dores nas costas, exaustão e excesso de pensamentos antes de dormir. Esse floral Aspen e o equilíbrio nos canais de energia dos Rins e da Bexiga ligados com o elemento água podem contribuir de maneira significativa na transformação emocional que esse floral proporciona. 

holly

Essa essência floral atua 
com a vibração da energia do amor. Faz o poder do amor ser percebido em sua maneira pura. O amor humano contem  o poder de transformar as emoções negativas em positivas.  O sentimento do amor  aflora a capacidade que todo ser humano tem dentro de si de contemplar o belo e de viver em unidade dentro de sua individualidade, ou seja, ser unico, amando a si mesmo, mas amando o próximo como a si mesmo. É sobre essas duas Leis que Dr. Bach fundamenta a filosofia da sua Terapia Floral.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Nascimento - Uma Passagem Mais Tranquila!!!!

O nascimento sempre foi e será ainda um evento maravilhoso para qualquer família. A vinda de uma "Alminha" para esse mundo material é um presente. Ao entrar em contato com o olhar de um bebê, o nosso estado interno é rapidamente tomado por um sentimento de amorosidade imensa. Isso acontece porque na verdade estamos simplesmente entrando em contato com nosso Eu Superior, termo adotado pelo Dr. Edward Bach para designar a grande fonte de energia de vida que temos dentro de nós.

Apesar de todo esse glamour com relação ao nascimento, bem sabemos que esse momento tem uma natureza traumática em sua essência, pois envolve um conjunto de mudanças e transformações na vida de todos os envolvidos, inclusive, do novo ser.
Durante a gestação o feto passa um período de 9 meses com toda a proteção, carinho e nutrição dentro de um ambiente acolhedor e quentinho. Protegido dos diversos tipos de estímulos externos que poderiam gerar estados de estresse desnecessários. Porem, quando a criança nasce, o contato com o meio externo exige do organismo do bebê um grande poder de adaptação para superar as dificuldades do novo habitat.



O contato com o oxigênio força os pulmões a começarem a funcionar e a busca por uma nova fonte de alimentação faz com que todo o aparelho digestivo desse novo ser seja acionado de forma que ele possa sobreviver.
No sentido de aliviar as dificuldades e diminuir os traumas causados por essa adaptação do bebê a sua vida terrena, utilizaremos algumas dicas de florais de Bach que podem amenizar o estresse emocional que possa vir a ocorrer. Além disso, aproveitaremos os conhecimentos da Sabedoria Oriental para ajudar a acionar os mecanismos fisiológicos de adaptação do corpo do bebê ao novo meio.
Citaremos três essências florais de Bach que, pela nossa experiencia, tem sido de grande ajuda para os recém nascidos e suas mamães. Vamos lá:


STAR OF BETHLEHEM
A primeira essência floral que indicamos vem de uma Flor Branca em forma de estrela de 6 Pontas. O nome dela é a Star of Bethlehem. Dr Bach utilizou essa essência floral para amenizar os efeitos posteriores de um estado de choque. No dia a dia de uma maternidade é possível vivenciar momentos de grande tensão emocional aos quais os recém nascidos são submetidos, principalmente naquelas gestações de risco onde o procedimento cesariano se faz necessário. Qualquer dificuldade na hora do parto pode colocar em risco o recém nascido como também, a saúde da própria mãe. Essa Essência regasta o poder de reorientação das funções orgânicas diante de momentos de grande sofrimento. O seu poder reconfortante e pacificador se faz presente quando ingerimos essa essência floral.


WALNUT
A segunda essência floral que pode ser tomada como uma medida preventiva vem da flor de uma grande árvore - A Nogueira. Essa essência floral foi escolhida pelo Dr Bach para que todo ser humano possa vivenciar o estado de estabilidade e de proteção nos momentos de maiores mudanças na vida. Seu efeito protetor ameniza o impacto das mudanças que a vida exige do corpo e ajuda a preservar o equilíbrio interno das funções orgânicas mais importantes do bebe, melhorando sua capacidade de adaptar-se a nova vida no ambiente.


CHESTNUT BUD
A terceira essência floral que indicamos vem do broto - o Chestnut Bud - de outra grande árvore chamada Castanheira. Por tratar-se do broto de uma flor, tem em sua essência vibracional o poder vivificante de crescer aprendendo com a vida. Por isso fortalece a capacidade inata do recém nascido de se desenvolver e explorar seu novo ambiente. Sabemos que alguns bebes não conseguem se adaptar de maneira fácil as novas exigências da vida extrauterina. Aprender a mamar, conseguir dormir num novo ambiente são os primeiros aprendizados de vida pelos quais todos nós passamos. Essa essência facilita os nossos canais de aprendizado e de percepção da vida de maneira que possamos evoluir com tranquilidade e paz interior. Dr Bach indica essa essência floral quando nos falta a habilidade de aprender a lidar com as dificuldades de qualquer de ordem ou natureza.



Logico que existem outras essências florais que podem ajudar muito na capacidade de um bebe se adaptar a sua nova fase. Na verdade, Dr. Bach deixou um legado de 38 essências florais que nos ajudam enfrentar a Escola da Vida com muito mais amor. 

SABEDORIA ORIENTAL
Mas não para por ai!!! A Sabedoria Oriental nos brinda com seus conhecimentos milenares que tem sido preservados e ensinados pelo povo oriental.
Segundo essa tradição todo bebe se desenvolve graças a presença de uma energia que fica estocada no órgãos Rins. Essa energia é responsável pelo o processo de concepção, desenvolvimento da vida uterina, pelo nascimento e amadurecimento do novo ser. Todo bebe durante a fase de adaptação, passa por uma etapa de assimilação de uma nova ordem que o ambiente impõe ao seu organismo. Nessa etapa uma das reações físicas mais evidentes é o aumento do tônus muscular generalizado no corpo. Essa reação demonstra que o organismo esta se adaptando de maneira eficaz a um estimulo diferente que precisa ser assimilado. Quando o organismos consegue assimilar esse novo aprendizado o estado de tensão muscular tende a diminui trazendo um relaxamento corporal evidente. Mas existem alguns bebes cujo estado de tensão no tônus muscular se mantem por longos períodos causando um grau de desgaste energético que se torna um sofrimento e traz diversos tipos de sintomas físicos.



Uma forma de diminuir esse estado constante de tensão muscular é a utilização de técnicas de massagem, principalmente na região das costas, utilizando-se um creme de massagem apos o banho. Quando massageamos a região das costas estamos estimulando o canal de energia da Bexiga que é responsável pelo o processo de desenvolvimento do corpo humano. A força de vontade aliada com o poder de aprender a lidar com as experiencias de vida se faz presente quando o tônus muscular se torna relaxado. Tocar as costas é um ato de amor que é bem acolhido por qualquer ser. O poder regenerador e pacificador é catalizado quando nos permitimos ser tocados.



Não tenha medo!!! Experimente com seu filho! Com certeza você vai ganhar diversos sorrisos de alegria.


Até a Próxima !!!

sexta-feira, 30 de junho de 2017

SER CRIANÇA É PRECISO!




Você já pensou que o processo de adoecimento pode ter origem no seu jeito de ser criança?


A filosofia da Terapia Floral de Bach conduz ao entendimento de que a lembrança da criança que fomos nos faz entrar em contato com um estado de consciência elevado chamado Eu Superior. 



Pois bem, cada um de nós traz, na essência, as características que nos individualizam como seres racionais que somos. A criança, na integridade de seu ser, vive sua verdade, conectada ao seu Eu Superior. Sendo assim, cada qual tem sua predisposição emocional que a faz responder de forma individualizada diante de cada estimulo enfrentado no decorrer da vida.




O tempo pode passar, podemos aprender muitas coisas, podemos amadurecer e até envelhecer, mas ainda assim, nossa essência permanece a mesma, desde a infância. Por isso dizemos que temos, dentro de nós, a criança que sempre fomos e que nos possibilita retornar ao Eu Superior a todo momento. 

Entretanto, inocência e espontaneidade  são inerentes à fase infantil do ser, são características que vamos perdendo com o passar do tempo. À medida que cresce, a criança vai aprendendo a lidar com as situações, aprendendo com a vida, sofrendo interferências que ora se tornam lições de vida e a levam ao crescimento, à evolução, ora se tornam obstáculos que a fazem sofrer e estagnar, pois não encontra, na sua predisposição emocional, a estrutura adequada para lidar com certas formas de interferência. A inocência se vai e a espontaneidade deixa de ser um traço tão fácil e verdadeiro na tentativa de aliviar as dores causadas pelas dificuldades emocionais.
Por outro lado, nós costumamos dizer que “quando casar passa” fazendo alusão ao fato de que "o tempo cura todas as feridas". Mas isso nem sempre e verdadeiro. “Nossos cérebros são esculpidos por nossas experiencias da infância”...alguns traumas moldam o cérebro para o confronto com a adversidade as custas de feridas profundas e permanentes” diz Martin Teicher MD e PhD, professor da cadeira de psiquiatria em Harvard.



Por isso podemos afirmar que existe uma forte relação entre as vivências da infância e a saúde na vida adulta. O sofrimento da infância deixa rastros negativos e acabam causando estresses que atrapalham o desenvolvimento do indivíduo. Pode-se observar deficiências no sistema nervoso e imunológico gerando problemas de saúde que atingem mente e corpo, como por exemplo, doenças autoimunes, distúrbios alimentares que levam a obesidade ou anorexia, uso de drogas e álcool. Basta lembrar que um sofrimento prolongado dificulta a produção da serotonina que ajuda a produzir o sentimento de bem estar e isso dificulta a capacidade de se ter um bom relacionamento com o ambiente e pode derrubar a autoestima. 

Pois bem, Dr. Bach, em 1930, já conseguia avaliar e perceber que os processos de adoecimento estavam ligados a sofrimentos emocionais da infância. Na verdade, durante uma sessão de terapia, à medida que um paciente vai relatando seu sofrimento, em algum momento, a existência de uma experiência dolorosa vinda da infância é frequentemente revelada.

Os florais de Bach são conhecidos pela forma como transformam estados emocionais negativos para aliviar sofrimentos que se escondem por traz de dores e queixas físicas. (Aliás, são geralmente as queixas físicas que aproximam os pacientes dos terapeutas.)
Dr. Bach desenvolveu suas primeira 12 essências florais que chamou de curadoras para atender as pessoas o procuravam queixando-se de males do corpo, mas ele sabia que para que isso acontecesse, elas teriam que curar os males da alma. Para chegar à alma, ele buscou a essência do ser e o caminho foi pensar na infância. As essências curadoras equilibram o jeito de ser da pessoa, com o qual ela nasceu, aquele jeito que a caracteriza como individuo, conectado ao seu Eu Superior que o direciona durante sua passagem por esta vida como um eu terreno.

Dessa forma o terapeuta floral consegue avaliar e auxiliar o paciente a buscar mais fundo, no amago de seu ser, ou seja, na sua criança interior, a verdadeira causa para sua doença. Por exemplo, podemos pensar em momentos significativos como a perda de um ente querido, a perda do contato com um determinado lugar onde a criança tenha sido muito feliz, a mudança de bairro, de escola e etc. Diante dessa constatação são indicadas essências florais que tem como foco, atuar nos mecanismos de transformações emocionais desse período de vida. 

Assim, em seus escritos filosóficos Bach recomenda que se faça um esforço para relembrar os sentimentos que governavam a vida infantil. Ou que se pense em aspectos emocionais positivos que a pessoa consiga lembrar em si mesma e que lhe outrora lhe trouxeram a felicidade que  faz falta em sua vida atual. Desta forma, a pessoa consegue identificar aptidões, gostos e intolerâncias que podem lhe servir de direcionamento para o encontro de si mesma.

É neste ponto que o conhecimento das 12 essências florais curadoras podem fazer a diferença. Elas nos auxiliam a relembrar que experiencias de vida podem nos trazer de volta sentimentos e estados de consciência que deixamos de lado ao longo da nossa existência.

Elas nos conduzem a um auto-olhar mais profundo e nos permitem entrar em contato com a poesia da vida que é revelada pela graça do contato com o Eu Superior que a criança interior pode nos revelar. 

Sejamos a alegria e a presença de Ser. Recebamos o tempo presente como um presente. Sorrir, rir, brincar, imaginar, sonhar, contemplar, admirar, pintar, colorir, aprender sempre! Amar a vida! Se você quer sentir tudo isso novamente, vivencie como uma criança, brinque com e como uma criança. Lembre-se: Ser criança sempre é preciso!!!





Até a próxima!


terça-feira, 14 de março de 2017

Sabedoria Oriental e Filosofia Floral de Bach - uma visão a respeito do Homem


Antes mesmo das agulhas da acupuntura existirem, já existia a Sabedoria Oriental com a idéia de que no ato do nascimento, o Jing (energia ancestral, herdada) transforma-se em Qi (energia) para movimentar nosso organismo físico, dando vida ao nosso corpo (físico). Dessa forma nossa Mente (Shen) é iluminada e animada para garantir a condição de manter a Energia (Qi) em movimento, mantendo a integridade e a boa saúde do individuo. Jing (Essência), Qi, e Shen (Mente) são chamados de os “Três tesouros” (San Bao), e correspondem ao Céu (Mente-Shen), Pessoa (Qi) e Terra (Essência-Jing).

Ao observar o Shen de uma pessoa, sabemos se ela é saudável e feliz. Para observar o Shen, basta olhar no rosto da pessoa: ele estará sereno, saudável, com brilho e atenção naturais no olhar.
Quando a Energia (Qi) é capaz de fluir livre e constantemente, a Mente (Shen) é capaz de manter-se equilibrada. As experiências do cotidiano são vivenciadas e as várias emoções são percebidas com serenidade, os problemas são enfrentados com sabedoria e cada tropeço é encarado como oportunidade de aprendizado e crescimento. Tudo isso acontece de forma Natural, assim como todos os fenômenos da natureza.

Os antigos chineses tinham consciência dessa forma natural de ser e sabiam que, como seres da natureza que eram (como plantas e animais) deviam respeitar e respeitavam os ciclos do ambiente onde viviam, observando dia e noite, frio e calor, seco e molhado, adaptando-se a todas essas condições para preservar seu bem estar. Dessa forma, as agulhas não eram necessárias, pois eles não ficavam doentes. Mas condições de guerra se impuseram entre povos, a natureza deixou de ser respeitada. O fluxo da energia no corpo do homem passou a sofrer estagnações e desgaste, o Shen (Mente) não pode ser devidamente alimentado e assim não pode controlar devidamente as emoções. Assim se instalaram as doenças.

Então, os sábios chineses passaram a utilizar as agulhas para influenciar o fluxo da Energia (Qi) no corpo em busca do restabelecimento do autocontrole, curando ou evitando que as doenças se instalassem no corpo. Mas sempre se basearam nos ciclos da natureza que regem o fluxo de Energia (Qi) nos ambientes externo e interno dos seres naturais.

Volto a dizer que ao observar o Shen (Mente) de uma pessoa, sabemos se ela é saudável e feliz. “Você é feliz?”, perguntava Dr.Bach a cada paciente que o procurava. Ser feliz para ele significava ter boa saúde. A pessoa saudável é bela, porque é integra, vibra e tem luz.  Dr. Bach nos ensinou que um indivíduo inteiro (integro) é aquele cuja matéria (seu “eu material” ou “eu terreno”) é animada por uma energia chamada Alma, trazendo a vida, o movimento e o calor e que vem alimentada por uma energia mais sutil vinda do alto, trazendo a Luz e a Sabedoria que está estocada no Eu Superior de cada ser. Trata-se do nosso Eu Divino.


Nós, seres humanos, temos a missão de unir o céu e a terra. Assim, quando fazemos a conexão do eu terreno com o Eu Superior, estamos cumprindo nossa missão. Essa conexão é facilmente observada quando nos sentimos felizes, seguros, plenos. A Alma é a Energia (ou Qi) que faz essa conexão. 
Na prática: sei o que fazer, sei o que pensar e falar no momento certo com as palavras certas e tudo acontece de forma perfeita, tudo dá certo, flui, quando se está conectado com o Eu Superior
Entretanto a desconexão, ou seja, quando a energia da alma não consegue fluir e manter essa conexão com o Eu Superior, perdemos o potencial nato de sabedoria e poder divinos. Isso nos causa sofrimentos que, a princípio são emocionais, mas que acabam por se aprofundar no corpo físico até alterar o estado de saúde de nossas células, moléculas e elétrons, causando doenças, imperfeições, alterando o funcionamento do organismo. Ficamos fora da Perfeita Ordem Divina.

Dr. Bach dizia: “A doença nunca será curada nem erradicada pelos médicos materialistas dos tempos atuais, pelo simples fato de que em suas origens, ela não é material.” O Shen (Mente), então, mostrará que a saúde se foi e a doença se instalou. 


Mas, "a Doença em si... é única e puramente corretiva; nem vingativa nem cruel. É o meio adotado pelas nossas próprias almas para mostrar-nos os nossos erros...”  Assim explicou Dr.Bach, que a doença é um aviso, é a forma que nossa Alma tem de nos mostrar que estamos fora de prumo e de rumo. Avisa-nos, alerta-nos para que possamos retomar nossa conexão com o Eu Superior, restabelecendo nossa Luz, nossa saúde, iluminando o Shen (Mente) e devolvendo a alegria de viver.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

AMOR - UM PODER DE CURA

Dr. Edward Bach, criador da Terapia floral, disse: “O desenvolvimento do amor nos traz a compreensão da unidade, da verdade de que cada um de nós e todos nós somos parte da única grande criação. A causa de todos os nossos problemas é o ego e a separação, e desaparece assim que o amor e o conhecimento da grande unidade se tornam parte de nossas naturezas.”
Temos falado tanto sobre o amor, sobre a importância da atitude e do pensamento amoroso e da necessidade do ato de amar a si mesmo como o fator mais importante de transformação, cura e evolução pessoal. O próprio Dr. Bach cita Buda quando fala do caminho que conduz o homem à perfeição.  “Buda e outros grandes mestres, de tempos em tempos vêm à Terra para mostrar aos homens o caminho rumo a perfeição. Não existe um meio-termo para a humanidade. A verdade precisa ser conhecida e o homem precisa se unir ao plano infinito de Amor de seu Criador.”

A LEI DO AMOR
Sabemos que os grandes mestres e pensadores se baseiam em verdades irrefutáveis que constituem leis que regem a vida. Uma dessas leis é a Lei do Amor. Por que dizemos que é irrefutável? Porque sua manifestação pode ser observada espontaneamente na Natureza em todos os reinos: mineral, vegetal, animal e humano. 
Então vamos observar que tudo o que existe na natureza é resultado de uma união. É preciso que polaridades opostas (macho e fêmea) se unam para que surja um terceiro elemento inteiro, resultante dessa união. Os Chineses ensinam que Yin (matéria) e Yang (energia) devem se unir para que exista a vida na terra. Cada célula que constitui o nosso corpo compõe-se de duas polaridades de natureza dessemelhantes, unidas por um processo alquímico para produzir mais vida. Por outro lado,  na química, sabe-se que há elementos que não se misturam, assim como água e óleo, ou até com base na biologia, podemos dizer que uma união considerada antinatural de dois organismos vivos gera produtos desarmoniosos.
A essa possibilidade de união entre dois polos opostos vamos chamar de amor. O amor é a alquimia que possibilita a verdadeira união, e somente na presença do amor existe a possibilidade de algo novo ser construído.

Quando ocorre o casamento entre duas pessoas que se amam, ocorre um princípio alquímico natural que une duas partes complementares (o homem e a mulher) para formar um todo, desde um novo ser, uma nova casa, uma nova família, com sua filosofia familiar que será única e harmoniosa, próspera e saudável. Quando o amor não existe verdadeiramente, o resultado pode não ser tão próspero e certamente, não será duradouro dentro da harmonia, da saúde e da felicidade.

ESTUDOS SOBRE O AMOR
Sabemos que esse tipo de pensamento é fruto de observações e sentimentos que a princípio são empíricos. Fatos podem comprovar a forma de pensar, mas nem todas as pessoas se contentam com isso. A credibilidade desse tipo de assunto passa pela necessidade de comprovações de natureza mais cientificas para que possa ser aceita em maior número dentro de uma sociedade ocidental, materialista como a nossa.
Por esse motivo, temos encontrado várias pesquisas que buscam comprovar cientificamente o poder de cura do amor.
Com base nessas pesquisas eu agora afirmo que “o amor e a própria essência da vida. Ar, Agua, alimento e amor  são os elementos indispensáveis a sobrevivência dos seres vivos."
O amor tem sido amplamente estudado por psicólogos na busca do entendimento dos motivos que fazem alguns serem bem sucedidos enquanto tantos sofrem pela falta ou pela confusão que criam em torno de seus relacionamentos pela vida afora.

O AMOR TRANSFORMA A BIOLOGIA
Perceba que o amor não e apenas uma experiência psicológica: ele também transforma a biologia. Observe, por exemplo que plantas tratadas com carinho e amorosidade devolvem esse afeto em forma de belas flores e saborosos frutos  enquanto outras, maltratadas, não vingam. 



Mamíferos recém-nascidos como o ursinho panda (em extinção na China), são afagados por pessoas contratadas para esse fim, uma vez que cada mamãe ursa só dá conta de um bebê urso por vez. Se o segundo ursinho tivesse que esperar até que sua mãe estivesse pronta para lhe dedicar seu amor, ele não sobreviveria.

Deepak Chopra – endocrinologista, diz que “estudos mostraram que a simples visão de um ato de compaixão fortalece o sistema imunológico”. Em Harvard, o psicólogo David McLelland descobriu que enquanto assistiam a um filme que mostrava madre Teresa de Calcutá consolando crianças doentes, tinham sua produção de anticorpos estimulada e aumentada. Diante da visão de cenas de guerra, entretanto, acontecia o oposto, comprovando o aumento da possibilidade de se contrair uma doença diante da presença de um estimulo emocional de falta de amor ou compaixão.
Existem grupos de apoio que dão assistência a pessoas doentes. Na Universidade de Stanford, David Spiege observou a cura crescente entre os doentes que participavam desses programas onde recebem apoios caloroso e afetuosos. Até mesmo um telefonema atencioso pode muitas vezes melhorar o quadro de um doente.



Depak Chopra afirma que “o amor é metabolizado na fisiologia e pode fazer a diferença entre a saúde e a doença." Em Michigan, Dr. James Houston conseguiu afirmar que o simples fato de pessoas participares de programas beneficentes com amorosidade e compaixão aumenta, nelas mesmas, a vitalidade e provavelmente sua expectativa de vida. “Ajudar os outros induz um sentimento de felicidade, acalma a mente e atenua a depressão.”



VOCÊ SABE AMAR?
Concluímos dizendo que “O amor e tão ou mais poderoso do que um remédio”.  Dr. Bach costumava perguntar a seus pacientes: “Você e feliz?” Diante da resposta, ele podia mensurar o grau de amorosidade que envolvia a pessoa, uma vez que felicidade e amor parecem andar juntos e as pessoas mais saudáveis são sempre as mais felizes. Ou seria o contrário?
A verdade é que o ser humano ainda não aprendeu a amar porque nem sequer entendemos direito o que significa amar. Nos reservamos o direito de amar as pessoas da família, um amor seletivo, condicionado e interesseiro que dificilmente ultrapassa a barreira de preconceitos e interesses egoicos. É preciso aprender a amar incondicionalmente, começando pela nossa volta, fazer o bem e exprimir o que temos de melhor com delicadeza, serenidade e compaixão, por seja lá quem for, em troca de nada. E não é preciso muito: um bom dia, um sorriso, a sua atenção, o seu gesto de carinho num  momento difícil. Enfim, o respeito ao próximo, que é o inicio de qualquer ato de amor verdadeiro.
Tudo isso são atitudes tão fáceis e capazes de gerar um ambiente amoroso e o bem estar da coletividade! Aos poucos, esperamos que isso se expanda por si só, pois amor gera amor, e aquele que for bem-amado, também será capaz de amar ao seu redor.



HOLLY - O FLORAL DO AMOR INCONDICIONAL 
Holly é o floral que limpa sentimentos de raiva, ódio, vingança. Observe que todos esses sentimentos são responsáveis pela desunião, pelo sofrimento, pela falta de paz interior. As folhas pontiagudas de Holly ferem e fazem sangrar a um simples toque. 
A essência Holly limpa o coração, remove esse lixo emocional que fere quem o sente e deixa vago o espaço para o perdão. Ao perdoar, você faz as pazes com alguém, você faz as pazes consigo mesmo, você faz as pazes com o amor e com a sua paz interior e com sua capacidade de voltar a ser feliz.





terça-feira, 19 de julho de 2016

A PREVENÇÃO DE DOENCAS E OS FLORAIS DE BACH


O objetivo de dr. Bach  foi criar um método de cura utilizando plantas da natureza, que não causassem efeitos colaterais ou qualquer tipo de dano. Esse método deveria ser simples de forma que, sem qualquer conhecimento médico, as pessoas pudessem utilizá-lo em casa, entre seus familiares, entre amigos, ou para auxiliar pessoas próximas que estivessem necessitando de auxilio.
Dr. Bach não escolheu as plantas por acaso. Ele sempre acreditou e tinha conhecimento de que, desde de épocas remotas, em civilizações antigas, as ervas já eram usadas como remédios e esse conhecimento a respeito das plantas curativas, além de ensinado e utilizado  pelos médicos, era transmitido e utilizado domesticamente, sendo que as famílias tinham sempre em casa sua própria caixa de remédios e algumas plantas no fundo do quintal com as quais contavam para tratar as doenças do dia a dia. 

Entretanto, para atingir seus objetivos, Bach teve dois cuidados. Primeiro, escolheu as "belas flores da natureza" , conforme dizia, que não fossem venenosas e que não causassem danos, independente da quantidade tomada. Segundo, desenvolveu e ensinou uma filosofia a respeito das noções básicas sobre doença e saúde que nos permitem, sem qualquer conhecimento sobre medicina, entender e utilizar as essências florais em casa. 

"As emoções são responsáveis diretas pela condição de doença e saúde do individuo."

Em primeiro lugar, é importante entender que a doença começa a partir do sofrimento emocional, ou seja, não é apenas fruto de contaminações externas. Se observarmos situações de doenças contagiosas, é comum que, em uma mesma casa,,, uma criança adoeça sem que outros irmãos sejam contaminados, apesar a convivência tão  próxima.   Dr. Bach explica que a doença  se instala e evolui dependendo da forma como cada individuo lida com suas suas vivências no dia a dia. Algumas delas podem causar emoções com as quais algumas pessoas conseguem lidar com facilidade, ao passo que outras  podem ter dificuldade de digerir, causando-lhe mal estar e sofrimento emocional. Trata-se de uma questão de predisposição emocional que faz com que o individuo se enfraqueça, por excesso de medo, desanimo,  impaciência, preocupação, etc.  Uma vez emocionalmente enfraquecido, o sistema imunológico acompanha esse enfraquecimento e deixa aberto o caminho para a evolução da doença que vai atingir, então, o corpo físico.

"Observe o paciente, não a doença."
Portanto, ao cuidar das emoções, estaremos evitando que as doenças se instalem. 
Dr. Bach diz que "cada um tem uma personalidade própria, mas que ela não está relacionada com o corpo, mas sim com a mente, que é nossa parte mais sensível e delicada." Sendo assim, a mente vai determinar o estado de espirito, ou seja a forma como cada um reage diante de determinadas situações. Quando abalada, a mente mostra sintomas que podem nos avisar, com antecedência, que uma doença está chegando. Um bom observador será capaz de perceber que mudanças comportamentais ocorreram, que estão fazendo com que a pessoa aja de forma estranha a sua natureza. Nessa altura, não é preciso nenhum conhecimento científico e nem é  necessário que possamos diagnosticar a doença que está para se instalar, mesmo porque, cada pessoa reage de forma individual. "Mas, não importa o nome da doença." O que importa é a percepção de que é necessário algum tipo de harmonização, de reajuste emocional, para impedir que o problema se instale definitivamente. É aqui que entram os florais.


"A prevenção é melhor do que a cura."

Nos dias de hoje as comidas processadas, o ar poluído, as noites de sono perdidas com os celulares, os exageros e irregularidades alimentares, a água que bebemos, os agrotóxicos e hormônios que ingerimos são fatores externos que desequilibram nosso organismo e requerem grande trabalho por parte do nosso sistema de defesa. Somam-se a isso, a vida corrida, a falta de direcionamento diante de tamanha variedade de escolhas que somos obrigados a fazer a cada instante da vida, a insegurança devido aos altos índices de criminalidade e às condições de trânsito que temos que enfrentar a cada dia. Os problemas familiares, relacionamentos no trabalho e na escola são outras fontes de preocupação e sofrimento. Dr. Bach diz que "todas essas coisas, embora não possam ser chamadas de doenças, trazem infelicidade e preocupação. Entretanto, todas podem ser corrigidas e a vida pode se encher de alegria. As plantas tem esse poder, desde que se respeite o princípio de tratar o individuo, de acordo com seu estado de espirito, de acordo com sua personalidade, sua individualidade. Dessa forma, não seremos capazes de errar. " 
A partir dessa forma de entender o ser humano e sua natureza, Dr.Bach conseguiu desenvolver seu sistema Floral utilizando 38 flores, "apenas 38 - não mais, para que ficasse mais fácil encontrar as plantas certas". E em vez de ter que dispender tempo e dinheiro com tratamento e medicamentos caros e inacessíveis, haverá sempre a possibilidade de se prevenir que a doença se instale! Afinal, há muito se sabe que prevenir é melhor do que remediar.